• O PC Gaming está "doente" e a culpa é dos exclusivos


    Por trás de um mercado altamente competitivo existe uma comunidade apaixonada que se une contra a injustiça, mas ao mesmo tempo lutam por qual é a melhor consola e os jogos preferidos.

    Além do campo de guerra que existe entre as consolas, existem planícies verdes (ou RGB se preferirem) chamadas de PC Gaming, onde tudo é maravilhoso... Até agora...

    O PC Gaming era talvez a plataforma que menos teria de se preocupar com os exclusivos por ser uma plataforma "universal".





    No passado, o PC era aclamado pela sua liberdade de escolha (afinal quem nunca passou umas boas horas a escolher se queria levar A ou B da prateleira da loja, ou até mesmo a jogar jogos de maneiras menos "legais"). Só depois da chegada da Valve com a sua plataforma Steam, EA com a Origin, ao mercado, que obter um jogo naquela plataforma e não em outra se tornou um hábito. No entanto ainda hoje é possivel entrar em uma loja e comprar um disco ou até mesmo uma "key".

    Os jogos exclusivos apareceram nas consolas para garantirem o desejo do consumidor em comprar o produto. é uma estratégia bastante explorada e abusada pelas marcas mas é isto que os jogadores deveriam temer!




    É aqui que a Epic entra na história...

    Todos sabemos que a Steam é gigantesca, pelo que a Epic prometeu fatias maiores aos estúdios em comparação com a Steam. Não foi o suficiente para os jogadores sairem a correr para o Epic Launcher. Chegou a hora de lançar a carta negra do baralho... Os exclusivos!

    E resultou! Os resultados estão à vista, ainda não fez muita "mossa" mas os efeitos vão se notando cada vez mais e também está a irritar uma boa percentagem da comunidade.


    Agora graças a essa "moda" de exclusivos temos de instalar mais um launcher para jogar um título...

  • PODERÁS GOSTAR DE LER:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Aviso!

    1. São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos.

    2. Os comentários não podem ser escritos integralmente em maiúsculas ou em parte. As maiúsculas devem ser usadas apenas no início das frases e em siglas e acrónimos.

    3. Os comentários não podem incluir hiperligações (links) ou qualquer código HTML.

    4. Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes.

    5. É inaceitável conteúdo publicitário, comercial, ou partidário.

    6. Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone.

    7. É proibido ferir ou incentivar a ferir estas regras.